terça-feira, 23 de junho de 2015

A Justiça de Deus é a Base da Justificação

           Permanece a imperativa pergunta : Como será o homem justificado diante de Deus? se nossa excelência moral não é a base sobre a qual Deus nos declara justos, qual é? A grande razão pela qual tão grandes contestações se apresentam a esta  pergunta é que ela e entendida em diferentes sentidos.
A Resposta bíblica e protestante seria absurda se a pergunta significado como os Católicos (Romanos) e outros compreendem, se "justo" significa bom , isto é, se a palavra for tomada em seu sentido moral, e não judicial , então é absurdo dizer que uma pessoa pode ser boa com a bondade de outro;  ou dizer que Deus pode declara  bom a  um homem que não é bom.
          Quando Deus justificam o ímpio, não  está declarando que ele é piedoso, mais que seus pecados foram expiados, e que tem o título para  a vida eterna com base na justiça. Nisso não há contradição nem absurdo, se uma pessoa sob sentença de morte civil comparece ante o tribunal apropriado, e mostra a causa pela qual esse sentença tem de ser revogado em justiça, e que declara com direto a sua posição, títulos e propriedades, uma decisão em favor dela seria uma justificação , Ela seria declarada injusta aos olhos da lei, porém nada se declarariam e nada haveriam  acerca de seu caráter moral.
      Ora, a pergunta é: "Sobre que base pode Deus declarar justo o pecador neste sentido legal ou judicial"? . Já se mostrou que justificar, segundo o uso bíblico normal, é pronunciar justo no sentido declarado, que não se trata meramente de perdoar, e que não é fazer inerentemente justo ou santo, Já se mostrou  que  a doutrina da Escritura o que na verdade é intuitivamente verdadeiro para a consciência, que nossa excelência moral, habitual  ou concreta, não  é nem pode ser a base de tal declaração judicial. Qual, pois, é a base ?A Bíblia e o  povo de Deus respondem unanimante : "A Justiça de Cristo". A Ambiguidade das palavras, as especulações dos teólogos e os mal-entendidos podem levar muitos do povo de Deus a negar verbalmente que tal seja a resposta verdadeira, mas , não obstante , é a resposta dada pelo coração de cada crente. Para sua aceitação da sua parte de Deus, ele confia não em si próprio, mas em Cristo; não no que ele é ou tem feito , mas no que Cristo e tem feito por ele.

Referencia:
Hodge, Charles
Teologia Sistematica/Charles Hodge;(Tradução:Valter Martins)
São Paulo,SP:hAGNOS,2001
Titulo Original: Systematic Theology
ISBN 85-88234-02-5
1. Teologia dogmática
I. Titulo
01-0045 CDD-230

Nenhum comentário:
Write comentários